Cabeceiras do Piauí - Turismo

Cabeceiras do Piauí é uma cidade jovem e ainda pequena e dispõe de um potencial turístico ainda não explorado.

Açude Santo Antônio de Cabeceiras

Açude Santo Antônio de CabeceirasUm dos pontos que atrai muitas pessoas da cidade é o tradicional açude, que fica localizado no centro da cidade: Dormitório de garças-branca no Açude Santo Antônio de Cabeceirasuma belíssima paisagem que concentra majestosas carnaúbas que atraem, todo fim de tarde, uma revoada de garças brancas que formam um verdadeiro espetáculo da natureza, tornando as caminhadas às margens do açude bem mais agradáveis.

O açude é alimentado com água do Riacho Santo Antônio. Foi construído no ano de 1946 de forma artesanal, com material carregado em lombo de jumento. Na construção, participaram muitas pessoas, entre elas os senhores José Alcinda e José Altino, a mando de Dodô Veloso.Nascente do Riacho Santo Antônio de Cabeceiras

Em 1993, o então prefeito José Ozires mandou Sangradouro do Açude Santo Antônio de Cabeceiras (buraco do prefeito)construir uma piscina no sangradouro do açude e um campo de areia, onde os jovens costumam praticar voleibol; desde então, a quantidade de banhistas em datas como o feriado da semana santa buscam divertir-se na prática de esportes e um merecido banho na picinal de água natural.

O açude também é importante para senhoras que batem (lavam) roupas à moda antiga, conservando uma tradição que gera economia em suas contas de água e para lavradores que aproveitam suas terras férteis para plantar suas roças.Lavadeira no Açude Santo Antônio de Cabeceiras

O Riacho Santo Antônio teve suas águas represadas ao ser construída uma parede com o objetivo da formação do açude, a mando de Dodô Veloso. Anos depois, ao ser construída estrada que liga Campo Maior a Barras, a rodovia barrou mais fortemente o riacho em Cabeceiras.

Plantação de legumes na parte sul do Riacho Santo AntônioLogo à direita, na entrada da cidade, nos chama atenção uma paisagem que a natureza se encarregou de construir, pouco modificada pelo homem, onde se vê num suave altiplano um carnaubal forrado de capim rasteiro. Aqui e ali, aparece um boi a pastar tranquilo ou a beber água límpida do riacho, que, por ter sido barrado no tempo das chuvas, inunda parte do belo jardim natural naquele trecho final do seu curso em período de seca, chegando a sangrar somente em período chuvoso, inundando a piscina construída na outra margem da rodovia e seguindo seu curso natural.

Há um projeto da prefeitura municipal para urbanização do açude, com a construção de um calçadão, quiosques e outras benfeitorias, nós moradores da cidade esperamos ansiosos o início dessas obras.